1 de junho de 2012

NO COMPASSO DAS VADIAS

Vulnerável instrumento da aurora impecável
em seu denilear movimento causável
do despertar matinal dos prazeres carnais
Vítimas do machismo em corpos efeminais
o desejo de tê-las na essência da purificação
em seus corpos santos de alma vadia
desfila nas avenidas “putas” da ousadia
No pecado social é mulher de sedução
Na hipocrisia do ataque o pulsar da atração,
o choque sexual nas metamorfoses hormonais
Homens em desalinho diante obras esculturais
de belezas distintas, do temor da afinidade
perdida pela impunidade a julgo da sociedade
É violentada na alma, no espírito que digladia
Em dia de seios, de coragem, de vida sadia
O direito exigido, no pleito do cair do dia
A condenação pelo feminismo em vias vazias
do reconhecimento de momento não casual
saboreando injustiças no marchar sensual
A liberdade escondida no colo de apologias
Serei no compasso o discurso que aderes
“Liberdade às Vadias. Liberdade às Mulheres”.


Winderson Marques
  

Google+ Followers