A entrevista que faltou “Amor, estranho amor”


A televisão é um mundo alternativo, que provoca os mais diversos sentimentos. Faz chorar, rir, e conduzem os telespectadores em diversas ocasiões para o ato investigativo das lembranças, de relembrar o passado dos artistas e através do conteúdo midiáticos tirarem conclusões próprias a respeito de cada tema.


E foi neste sentido, de aguçar e convidar o amante televisivo que o Fantástico realizou chamadas pra o programa de domingo, na qual criou a expectativa de uma entrevista com a apresentadora XUXA que revelaria coisas inéditas.


No domingo, a entrevista com a apresentadora no quadro “O que vi da vida” do Fantástico rendeu não só audiência, mas a manifestação dos mais diversos tipos de internautas, alguns especialistas, outros julgadores, e entre tantas repercussões o blogueiro que aqui subscreve chama a atenção do fato de que XUXA revela já ter sido vítima de violência sexual, e em clima bombástico, com trilha sonora, lágrimas, a “rainha dos baixinhos” discorre a cena já vivenciada, e, no entanto ficou difícil assimilar que mesmo ela conhecendo os problemas psíquicos que serão carregados pela vítima por toda a vida, e se tratando de um mal a ser combatido já tenha se envolvido em papel representativo onde a mesma foi agente do abuso. No filme “Amor, estranho amor” a atriz XUXA seduz, se exibe e pratica atos sexuais com uma criança de aproximadamente 12 anos de idade. E independente de ser um filme, a postura que a atriz adotou naquela ocasião em aceitar o papel é incoerente com alguém que havia sentido na pele o drama do Abuso Sexual, e agora nos dias atuais sua reflexão sobre o que viu da vida não passa por pontos como esse, ou seja, mesmo que ela tenha se arrependido como já se manifestou em entrevistas anteriores seria respeitoso com o telespectador que a apresentadora assumisse perante o público a verdadeira postura que a regeu durante parte de sua carreira.

Assumir ser uma pessoa com defeitos, com pecados, ganâncias, vaidades ou a menos os reconhecê-los como já vividos e presentes em parte da vida são características do que é ser humano, ser de corpo e de alma alguém que aprende com os erros e assim ter consistência para lutar contra o que já fez parte um dia de sua personalidade.




No
Blog da Aninha é possível encontrar uma matéria que chama a atenção para o conteúdo apelativo do Fantástico, do puro sensacionalismo, e concordo com a autora, porém a blogueira mantém a neutralidade ao falar de XUXA, sua posição é de que na internet, as pessoas dizem que estão com vergonha alheia da Xuxa, mas ela está com vergonha alheia do Fantástico. Eu confesso não sentir vergonha alheia, pois já era esperado mais uma exibição sensacionalista, e por outro lado até que teve um apelo instrutivo como tema da Violência Sexual, mas acho que a apresentadora não deixou de ser ali a funcionária da TV GLOBO, falou sobre o que era conveniente para a emissora e para o público geral... O que eu gostaria de ver? De ouvir?... Ficou nas entrelinhas.


Assistir entrevista na íntegra:
1 comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Análise do texto: "Ensino de História: fundamentos e métodos"

Retificação de Registro Civil - (Via administrativa)

Orientações básicas para inventário extrajudicial