15 de maio de 2012

Carolina Dieckmann X Babi Rossi

Nas últimas semanas os assuntos mais comentados nas redes sociais estão relacionados com a vida particular de personalidades da TV Brasileira.
De um lado, a panicat Babi Rossi raspou o cabelo ao vivo no programa Pânico na Band, e assim iniciou uma onda de pitacos sobre o que teria a motivado a tal atitude. Entre os comentários circula o boato que Babi teria raspado a cabeça com intuito de aumentar a audiência da emissora Rede Bandeirantes, e ainda receber uma grana pelo feito. Mas entre possibilidades, fofocas e deixando de lado os pré julgamentos alheios o Blog EnfOque WM destaca a resposta de Babi em seu perfil do Twitter: "Não fiz por audiência! Quis fazer! Você acha que não tenho pena dessas mulheres? Isso é até bom para mostrar que um cabelo não é tudo! Veja as mulheres que raspam a cabeça devido a doenças. Veja isso como uma homenagem a elas, e que mulher é linda mesmo sem cabelo". E disse ainda: "Estou bem gente! Um cabelo não é tudo na vida. Fiz pelo amor ao que faço. E podem ter certeza que não fiz por coisas materiais. Determinação e força. A beleza da mulher não está contida no cabelo, maquiagem e afins, está contida na atitude, determinação e força",      

Já a atriz Carolina Dieckmann foi vítima de hackers. As investigações indicam que um vírus enviado por e-mail permitiu que seu computador fosse invadido e assim capturadas fotos íntimas da atriz, que chantageada não cedeu e acabou tendo suas fotos publicadas na Internet. Os invasores já foram identificados, porém as fotos continuam circulando pelos sites e blogs, e diante da situação Carolina e seu advogado pressionam o Google para que iniciem uma varredura das imagens, missão impossível, e que de certa forma chega a ser incoerente, visto que tais fotos não apresentam vulgaridade ou a exponha em uma situação de constrangimento e denegreça sua imagem. Aliás as fotos vazadas só promovem ainda mais a sua beleza natural e de que Photoshop nem sempre é regra.

Nudez Feminina (Paulo Coelho)
A beleza feminina sob a ótica masculina
Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher.
Saber seu peso não nos proporciona nenhuma emoção.
Não temos a menor idéia de qual seja seu manequim.
Nossa avaliação é visual. Isso quer dizer, se tem forma de guitarra… está bem.
Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas.
As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas…
Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fração de segundo.
As magrinhas que desfilam nas passarelas, seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays e odeiam as mulheres e com elas competem. Suas modas são retas e sem formas e agridem o corpo que eles odeiam porque não podem tê-los.
Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura.
A elegância e o bom trato, são equivalentes a mil viagras.
A maquiagem foi inventada para que as mulheres a usem. Usem! Para andar de cara lavada, basta a nossa.
Os cabelos, quanto mais longos, melhor. Para andar com os cabelos curtos, bastam os nossos.
As saias foram inventadas para mostrar suas magníficas pernas. Porque razão as cobrem com calças longas?
Lei da natureza… que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulêmica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranquila e cheia de saúde.
Entendam de uma vez! Tratem de agradar a nós e não a vocês, porque, nunca terão uma referência objetiva, do quanto são lindas, dita por uma mulher.
Nenhuma mulher vai reconhecer jamais, diante de um homem, com sinceridade, que outra mulher é linda.
As jovens são lindas… mas as de 30 para cima, são verdadeiros pratos fortes. Por tantas delas somos capazes de atravessar o Atlântico a nado.
O corpo muda… cresce. Não podem pensar, sem ficarem psicóticas que podem entrar no mesmo vestido que usavam aos 18.
Entretanto uma mulher de 36, na qual entre a roupa que usou aos 18 anos, ou tem problemas de desenvolvimento ou está se auto-destruindo. Nós gostamos das mulheres que sabem conduzir sua vida com equilíbrio e sabem controlar sua natural tendência a culpas. Ou seja, aquela que quando tem que comer, come com vontade (a dieta virá em setembro, não antes; quando tem que fazer dieta, faz dieta com vontade não se saboteia e não sofre); quando tem que ter intimidade com o parceiro, tem com vontade; quando tem que comprar algo que goste, compra; quando tem que economizar, economiza.
Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos ‘em formol’ nem em spa… viveram!
O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.
Cuidem-no! Cuidem-se! Amem-se! A beleza é tudo isto. Tudo junto!
                                                                                               

Google+ Followers