13 de agosto de 2010

“MAÇÃS DO CAPITALISMO”

“MAÇÃS DO CAPITALISMO”
Virtuosa e fulgurante vocifera os ventos de transição Humanismo vivente na magnificência da realidade, Clássica cultura greco-romana em fênix de ascensão Tilintando antropocentrismo em raios da humanidade Exaltando mãos, olhos, homens de jovem concepção Unidos após tempestade em céus limpos à modernidade, Em águas correntes banhando solo fértil do saber Gerando homem universal na constelação de um ser. Marcantes séculos salientados pelo orvalho da ciência, Do desenvolvimento planeado ao senhorio racionalismo Vida de opções em caminhos de escolha e emergência, A burguesia na colheita do fruto – maçãs do capitalismo, O capital prometido, individualidade em suma: essência Aroma suave que entorpece e rompe o velho pragmatismo Idealização do artista que produz o belo cultuando prazer, No espírito contempla natureza na perfeição do amanhecer. Italianas pegadas de um comércio a reconhecimento social, Nos aplausos urbanos à estimada produção renascentista Sábios Bizantinos coadjuvantes de espetáculo instrumental, Regidos pelo ideal e pelo universalismo protagonistas Ao coro de Mecenatos financiadores da produção intelectual, Enriquecidos burgos na harmonia e melodia idealista, Riquezas ostentadas despertando cobiça a outras nações, Guerras, invasões... Na alma e no corpo... Transformações.
Winderson Marques

Google+ Followers